11 de junho de 2012

Capitulo 18 - Posso falar contigo?

Ia ser mais um dia insuportável na minha vida, graças à minha suposta amiga, que me fez confiar nela, ter-se descaído com as amigas dela! E se tivesse ficado por ai, eu ficava feliz, mas não, aquilo teve de se espalhar por toda a escola!

-Sam, sam! 

-Bom dia Amy, então já passaram as bocas?

-Não sei, mas pelo que ouvi, acho que o Jeff quer falar contigo!

-Comigo?!

-Ei, calma, não girtes! E sim, contigo... Pelos menos és aquela que se chama Sam, não és?

-Vai dar uma volta, não é boa altura para gozares com a minha cara!

-Pronto, desculpa lá, mas sim, acho que ele quer falar contigo...

-Ai mãe!!

-Tem calma!

-Falar é fácil...

Fui para a primeira aula da manha com o coração a acelerar, e muito, o que lhe iria dizer? O que é que ele me iria dizer a mim? Estava completamente a passar-me!

De repente tocou para a saída, normalmente demorava mil anos até estar despachada, mas naquele momento, os meus livros saltaram magicamente para dentro da minha mala...

Antes de conseguir ir embora, escapando à chamada de Amy, uma mão deteve-me, agarrando-me o braço.

-Posso falar contigo?

Era Jeff! Entrei em estado panela de pressão, o meu coração batia a mil à hora, e não conseguia pensar direito, nem ter coragem para dizer o que quer que fosse...

Claro que toda a nossa turma começou a mandar bocas para o ar, mas tentei ignorar.

-Anda aqui. - Ele puxou-me para um canto, atrás das escadas que davam para o piso de cima.

-Diz...

-Olha, o que eu te queria dizer era que tenho um fraquinho por ti, mas ainda gosto da Martha...

Martha? A sério? Será que ela tinha de conquistar o coração de todos os rapazes que eu conheço e pelos quais eu me interesso?

E "mais importante que isso"... mas que raio é que ia dizer agora? Se isto fosse um filme eu poderia dizer qualquer coisa como "um fraquinho não me chega Jeff", ou "isso não é gostar, por isso quando gostares, vem falar comigo", ou até "a Martha? Não vês que ela magoou Dylan?" mas isto não era um filme, era a vida real, eu não era forte o suficiente para dizer o quanto gostava dele, o quanto precisava dele, o quanto me magoava ele estar a dizer-me aquilo, mas não, não consegui arranjar coragem para tanto...

5 comentários:

  1. deixei-te uma coisa no meu blog :)

    ResponderEliminar
  2. adorei... por favor publica muito rápido *.*

    ResponderEliminar
  3. AMEI sem dúvida! Amo a tua história!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh que queridaa! Obrigada :D
      És um dos grandes motivos pelos quais eu escrevo!!

      Eliminar

a vida é muito curta para guardares o que pensas só para ti!